Início do conteúdo

Quem Somos


   Linha do Tempo

 

Cronologicamente, como podem ser observadas a seguir, ações participativas foram trabalhadas desde 2007, com o objetivo de criar o Centro de Informação em Saúde Silvestre integrado a construção participativa contínua.


2014 – Lançamento do Centro de Informação em Saúde Silvestre no portal da Fiocruz e da versão teste do Sistema de Informação em Saúde Silvestre
clique aqui para ler a matéria de lançamento do Centro de Informação em Saúde Silvestre

Integram a ação “Projeto de Análise e Previsão de Agravos à saúde em zonas de fronteira entre ecossistemas naturais e antropizados” os projetos:

  • Projeto Integrado Saúde e Ambiente SESC PANTANAL-FIOCRUZ”, desenvolvido na Reserva Particular do Patrimônio Natural do SESC Pantanal e seu entorno, MT, com financiamento do SESC.
    Período: 2009 a 2012.
    Equipes: Laboratório de Ecologia – DENSP/ ENSP; Laboratório de Imunomodulação e Protozoologia – IOC ; Laboratório de Toxicologia,  CESTEH/ENSP; Laboratório de Virologia Comparada e Ambiental – IOC;  Laboratório de Zoonoses Bacterianas – IOC;  Programa Biodiversidade & Saúde.
     
  • Dirofilaria immitis: infecção canina, resistencia às lactonas macrocíclicas e modelo de ocorrencia em paiagens distintas
    Período: de 2009 até o momento
    Equipes: Laboratório de Imunomodulação e Protozoologia – IOC; Escola Veterinária UFF, Escola de Veterinária UFRRJ; Programa Biodiversidade & Saúde.
     
  • Grupo de Estudo de Mamíferos Marinhos da Região dos Lagos do Rio de Janeiro – GEMMLagos da ENSP
    Período: de 2009 até o momento.
     
  • Instituto Nacional de Arqueologia, Paleontologia e Ambiente do Semiárido – INAPAS/INCT/MCTI/CNPq que estuda as parasitoses intestinais de animais silvestres na Caatinga da pré-história aos dias de hoje. Período: de 2009 até o momento.
    Equipes: Laboratório de Paleoparasitologia e Laboratório de Ecologia, DENSP/ENSP; Fundação Museu do Homem Americano, UFPE, UECA.
     

2013 – Lançamento do livro “Saúde Silvestre e Humana – Experiências e perspectivas, Wildlife and Human Health: Experiences and perspectives”. Edição PIBS
clique aqui para acessar o livro
 


2013 – 1ª Reunião da Rede de Laboratórios em Saúde Silvestre – ReLSS

De 11 a 12 de setembro de 2013, na Fiocruz, Rio de janeiro, 55 especialistas se reuniram para a formalização da Rede de Laboratórios em Saúde Silvestre. Esta data formaliza a criação da Rede, com 43 laboratórios inicialmente integrados, com sua missão e estratégias de avanços definidas.
(ver pdf da memória da oficina em mais informações)
clique aqui para conhecer a Rede de Laboratórios
 


2013 – Integração das ações do PIBS com ações do Instituto Chico Mendes de Biodiversidade – ICMBio no âmbito do ProbioII

Como parte da estratégia de disseminar o CISS e o SISS entre os potencias colaboradores do Sistema e com apoio e parceria do ICMBio a equipe do PIBS participou e integrou suas ações aos Planos de Ação do Xingú – PAN-XINGÚ e ao Plano de Ação dos Mamíferos da Mata Atlântica Central – PAN-MAMAC.

clique aqui para conhecer o Plano de Ação Nacional para Conservação do Xingu
clique aqui para conhecer o Plano de Ação Nacional para Conservação dos Mamíferos da Mata Atlântica Central
 


2012 – Oficina para Formação da Rede Participativa em Saúde Silvestre - RePSS

Ao final da 1ª. Conferência Brasileira de Saúde Silvestre e Humana foi realizada a 1ª Oficina para a criação da Rede Participativa em Saúde Silvestre – RePSS com a participação de 57 especialistas de diversas áreas de atuação e conhecimento, regiões do Brasil e setores. A Oficina inaugurou assim a RePSS delineando sua área de abrangência, escopo, modus operandi, participações, pontos fortes e fracos do tema no País e estratégias de avanços.
(Para ver o pdf do relatório da oficina e memória da 1a Reunião da Rede de Diagnósticos clique nos links do direito desta página).
 


2012 - Curso pré-conferência intitulado “Concepts and Examples of Emerging Diseases

Oferecido na 1ª. Conferência Brasileira de Saúde Silvestre e Humana o curso foi ministrado pelo Professor James Childs da Yale School of Medicine - USA, com 54 participantes.
 


2012 -  1ª  Conferência Brasileira de Saúde Silvestre e Humana - Programa Institucional Biodiversidade & Saúde/Presidência

Realizada no Rio Othon Palace, Rio de Janeiro de 24 a 26 de outubro de 2012 a 1ª. Conferencia de Saúde Silvestre e Humana contou com 274 participantes com o objetivo de (i) contribuir com a organização da informação sobre doenças emergentes e reemergentes advindas da biodiversidade; (ii) sensibilizar técnicos e a comunidade científica para a necessidade da construção de modelos de avaliação de risco e predição em saúde humana, silvestre e de animais domésticos e (iii) repartir experiências de sucesso de modo a encurtar caminhos para geração de modelos de ocorrência de doenças. A Conferência contou com pesquisadores estrangeiros e brasileiros de alta experiência e a apresentação de resumos em forma de pôsteres.
(ver pdf dos resumos da conferência e a programação em mais informações)
 


2010 – Apoio ao desenvolvimento tecnológico em diagnóstico da fauna nativa

Um das questões centrais para o diagnóstico de agentes etiológicos circulantes na fauna silvestre são as condições de coleta, armazenamento, remessa e diagnóstico, muitas vezes realizados em locais longínquos e sem infraestrutura. Para apoiar equipes da Fiocruz a desenvolverem ou a adaptarem técnicas rápidas e robustas de diagnóstico no campo, o PIBS/ProbioII lançou em 2011 Carta Convite a comunidade científica para selecionar projetos para esse desafio.

Projeto apoiado de 2011 a 2013

Hantavirose e Arenavirose no Brasil: Desenvolvimento de insumos para o diagnóstico rápido em roedores silvestres através da plataforma de cromatografia de fluxo lateral

Coordenadora :  Dra. Claudia N. Duarte dos Santos
Instituto Carlos Chagas - Fiocruz/Paraná
Laboratório de Produção/Controle de Qualidade-Kit Diagnóstico
Colaboração : Dr. Antonio Gomes Ferreira Pinto
GPRED/VDTEC, Instituto de Tecnologia em Imunobiológicos - Bio-Manguinhos
Clique aqui para ler a matéria
 


2010 – Reunião para formação da rede de diagnóstico em saúde silvestre

Realizada no FUNBIO, a reunião contou com grupo de especialistas da Fiocruz, Universidade de São Paulo, Fundação Parque Zoológico de São Paulo, Universidade Federal Fluminense, Universidade Federal de Brasília e Universidade Federal do Rio de Janeiro com objetivo de traçar estratégias para a formação da rede.
(ver memória da reunião em mais informações)
 


2009 – Desenvolvimento do Sistema de Informação em Saúde Silvestre

A partir das bases elencadas pelos especialistas, se inicia a construção da concepção do Sistema de Informação em Saúde Silvestre - SISS. Desenvolvido inicialmente pela equipe do PIBS, o desenvolvimento ganhou a parceria da Coordenação de Gestão em Tecnologia da Informação – CGTI/Fiocruz em 2010, quando diversos arranjos para o desenvolvimento de software foram tentados. Em fins de 2012 a parceria com o Laboratório Nacional de Computação Científica se consolidou para esta construção e já com a integração do SISS ao Sistema Brasileiro de Biodiversidade – SIBBr do Ministério da Ciência, tecnologia e Informação.
 


2009 - Workshop “Estado da Arte em Saúde Silvestre no Brasil” 

Realizado em Itaipava, Rio de Janeiro, de 03 a 06 de novembro de 2009, o workshop contou com a presença de 132 especialistas de 53 instituições brasileiras.  

Os objetivos foram iniciar a consolidação do conhecimento sobre a saúde silvestre no Brasil, por meio da identificação de especialistas e instituições que atuam no tema; inventariar o conhecimento produzido e as lacunas nos diversos grupos biológicos e biomas brasileiros envolvidos; identificar os pontos críticos/impactos para a emergência e reemergência de doenças potenciais aos homens e organizar uma rede participativa que disponibilize informação e divulgação sobre o tema e aprofunde questões conceituais e modelos preditivos sobre o tema.
(ver pdf do relatório e resultados em mais informações)
 


2009 – Oficinas temáticas para a criação de uma rede participativa em saúde silvestre

Ao final do workshop “Estado da Arte em Saúde Silvestre no Brasil” três oficinas foram realizadas com os especialistas. Os grupos se reuniram para elencar as bases necessárias para a criação da rede participativa, de metodologias adequadas aos avanços em diagnóstico em saúde silvestre e em estratégias e metodologias de mapeamento das ocorrências de doenças na fauna silvestre.
 


2007 – Lançamento de edital do Programa de Desenvolvimento Tecnológico em Saúde Pública – PDTSP/Programa Institucional Biodiversidade & Saúde – PIBS dedicado ao apoio a projetos da Fiocruz para análise e previsão de agravos à saúde em zonas de fronteira entre ecossistemas naturais e antropizados.

Projeto apoiado de 2007 a 2009

Detecção e caracterização molecular de vírus entéricos em ambientes aquáticos do Campus Fiocruz da Mata Atlântica, RJ: um modelo de análise para previsão de agravos à saúde humana na fronteira entre a Mata Atlântica e a urbanização”
Coordenadora: Dra. Marize Pereira Miagostovich
Laboratório de Virologia Comparada do Instituto Oswaldo Cruz


 

Voltar ao topoVoltar